Poemas e Prosas: Qual o erro que ele cometeu? Conto de Wesley Coelho

domingo, 7 de setembro de 2014

Qual o erro que ele cometeu? Conto de Wesley Coelho

     Um homem muito humilde e pacato trabalhava nessas empresas multi-nacionais da alta classe burguesa com muita dedicação e preocupação, pois sustentava três filhos tinha que trabalhar duro. Ele trabalhava na seção de carga e descarga de produtos grandes, médios e pequenos, de segunda à sexta de 07:00 às 19:00, ganhando apenas 750,00 por mês, imagine a labuta deste brasileiro humilde.
     Certo dia estava ele no seu posto de trabalho quando apareceu-lhe um de seus "colegas" de trabalho muito genioso, astuto e soberbo inicia uma conversa com o humilde trabalhador dando inicio a uma séria de palavras de baixo escalão ao pobre homem devido a sua baixa patente. Começa a humilha-lo com palavras opressoras e depressivas , porém o humilde homem não se deixou levar pelas palavras daquele o homem soberbo.
     Depois daquele dia o soberbo sempre ia até o local onde estava o humilde e começava os esculachos verbais... e o humilde homem só o ouvia e permanecia calado, mas tinha fé que alguém ia ver seu esforço.
     Dias se passam e nada de promoções, meses se passam e nada de promessas, e o humilde homem começa a indagar à Deus qual foi o erro que ele cometeu, com muito sofrimento aguenta aquelas palavras e opressões por dois anos longos para ele, mas nunca deixou de ter fé e convicção que iria promover-se.
     Certo dia vai ele trabalhar, quando um homem bem alinhado, com um terno branco, sapatos brancos e cabelos loiros e olhos azuis. Para de frente ao pacato homem e recita palavras de ânimo ao triste homem dizendo:
 - Não se preocupe, pois Deus ouviu seus questionamentos e agiu ao seu favor. Vai e prepara sua alma e seu coração.
     E o triste homem já transforma-se em um esperançoso homem. Vai ele ao trabalho quando se depara vindo em sua direção o vice presidente da empresa, e conversa com o tal homem que tanto falavam dentro da empresa, e o tal vice presidente começa um séria de perguntas e sempre com respostas muito bem feitas, porém uma pergunta ele fez ao homem dizendo a seguinte pergunta:
 - Você sabe é diferente das pessoas que trabalham não sabe?
 - Sim senhor sei que sou pois sou servo.
 - Servo? como servo? Não entendi essa sua afirmativa?
 - Sou servo do Deus de Israel, sou servo do Deus que fez os Céus e a Terra! tenho muita fé Nele.
 - Quero saber mais.
 - Sou seu servo e Ele quer que o senhor o sirva também pois Ele lhe ama, porém basta somente ao senhor O aceitar.
    E com essas palavras humildes como tal  e diretas o grande e prestigioso vice presidente da empresa aos prantos converte-se ao Deus que o humilde homem falou e disse:
 - Você mostrou-me que Deus nos ama e quer nos salvar, mostrou-me que Ele trabalha com as coisas humildes para realizar coisas grandes. Por causa dessas palavras eu O aceito como Meu Deus também. E quero que você rapaz fique em meu lugar na vice liderança pois você tem esse espirito.
    O homem de tão assustado com aquelas palavras impressionou-se de como O Deus Todo-Poderoso trabalha e perguntando ao Vice presidente disse:
 - Porque o senhor quer sair da vice presidência que tantos prestigiam porque o senhor escolheu a mim se existem tantos mais preparados do que eu? O vice presidente disse:
 - Por que quando o olhei vi algo diferente vi esperança no seu olhar por isso escolhi você, e também estou de partida pois estou muito doente esperando Deus me buscar. Agora eu encontrei o conforto que buscava a muitos anos você me ajudou à encontrar Deus, obrigado meu rapaz. Prepare-se, começará daqui à uma semana.
    E o humilde trabalhador transforma-se no vice presidente da maior empresa da cidade e vive uma vida de Paz,amor e dedicação à Deus e ao seu trabalho.
    Deus trabalha assim, usa o humilde e fraco para destruir a soberba dos grandes e fortes.
    E o soberbo da estória?... Eu deixo essa parte para você caro leitor, escolha aí na sua imaginação o fim deste homem que representa as coisas ruins da nossa vida real, do cotidiano.
    O que aconteceu com ele?